Comboio formado por veículos comerciais antigos roda 1.200 quilômetros na Alemanha

Pela 15ª vez, o Tour de veículos comerciais antigos percorre 1.200 quilômetros nas estradas alemãs. Para a largada do comboio – que tem duração de 10 dias e é liderado por um caminhão com a estrela de três pontas – empresas de transporte e agentes de trânsito se reuniram no museu Mercedes-Benz, na cidade de Stuttgart.

Esse Tour pela Alemanha teve início em Stuttgart, onde Gottlieb Daimler iniciou a história dos caminhões há 120 anos, em 1896. O comboio partiu do museu Mercedes-Benz tendo primeiro como destino a cidade de Speyer. Os veículos percorrerão cerca de 1.200 quilômetros em trajetos com direção ao norte do País.

A Mercedes-Benz está representada por vários modelos de caminhões – com no mínimo 30 anos de idade – e comerciais leves. Dirigindo um Mercedes-Benz LP 333, Bastian Bernard lidera o comboio histórico com o seu modelo de 1960. Além dos veículos da estrela, os caminhões LP 333 e LAK 329 e a van furgão L 319, o Grupo Daimler está também representado pela marca Setra, de ônibus, com o modelo S9, fabricado no ano de 1959.

 

Fonte: Mercedes-Benz

Curte música sertaneja? Conheça um pouco melhor a história dela.

caminhoes_22-09_blog1

A música Sertaneja, também conhecida como música caipira, se originou em 1929, quando o jornalista Cornélio Pires gravou alguns causos e cantos tradicionais do interior paulista. A partir daí, ela evoluiu e mudou bastante, podendo ser dividida em 4 gerações.

 

A primeira geração, também conhecida como sertanejo raiz, foi marcada por nomes como Tonico & Tinoco e Alvarenga & Ranchinho. Eles carregavam em suas letras o estilo de vida do homem interiorano e as belezas da paisagem rural.

 

Durante a segunda era da música, a partir de 1945, as histórias de amor começaram protagonizar as canções. O acordeon também passou a ser utilizado e enriqueceu os arranjos, que mais tarde fariam muito sucesso nas vozes de Milionário e José Rico e Pena Branca e Xavantinho, por exemplo.

 

A música passou a ficar mais moderna a partir da década de 70, no que é considerada a terceira era do estilo. O chamado “ritmo jovem” veio com a introdução da guitarra elétrica pela dupla  Léo Canhoto e Robertinho. Durante os anos 80 houve a expansão comercial do gênero, protagonizado por , Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano e muitos outros.

 

O atual e famoso sertanejo universitário veio a partir dos anos 2000, iniciando a quarta era da música sertaneja. Aqui vemos nomes muito atuais como Luan Santana, Fernando & Sorocaba, Jorge & Mateus, por exemplo. Os show se tornam cada vez maiores, o público adepto não para de crescer e cada vez mais revelações surgem por aí.

 

A história de um estilo musical tão rico e complexo não caberia inteira aqui nesse post, mas esperamos que isso sirva de inspiração para você aumentar o volume e meter o pé na estrada ao som dos clássicos ou modernos do nosso bom sertanejão.

 

Boa viagem!

 

Fonte: Blog do Caminhão Mercedes-Benz

Cuidados com a bomba injetora de combustível

20140516_320785daa83e4eba90d64e3348d9b1cd_axor-2644.jpg

Uma das partes mais importantes de todo o sistema de alimentação do seu caminhão é a bomba injetora de combustível, por isso ela precisa de uma atenção especial. Mas antes de falar sobre como cuidar desse componente, é preciso entender qual sua importância e funcionamento.

A bomba injetora é responsável por enviar o combustível do tanque até o sistema de alimentação do motor, ou seja, sem ela o diesel ficaria parado dentro do tanque e de nada adiantaria abastecê-lo. Quando o combustível está dentro do motor e você liga o caminhão, ocorre a combustão e você pode pegar a estrada. No mercado existem dois tipos de funcionamento: mecânico e elétrico. O modelo elétrico é mais moderno, está presente nos veículos que possuem injeção eletrônica e com ele o processo de injeção de combustível é administrado por unidades de comando eletrônicas. Já as bombas mecânicas são as reguladas por bombistas (profissionais capacitados) de forma manual.

Para garantir que seu caminhão continue rodando com segurança e sem problemas no trajeto do diesel, entre o tanque e o motor, são necessárias três coisas: adquirir uma bomba injetora de qualidade, avaliá-la regularmente e fazer a troca dentro do tempo certo. O período indicado para trocar a bomba de combustível é, em média, a cada 150 mil quilômetros rodados, mas é preciso ficar atento aos sinais que podem indicar problemas na peça:

• Excesso de fumaça saindo do escapamento;
• Falhas no motor;
• Queda no rendimento do combustível;
• Sons e ruídos incomuns;
• Queda gradual da potência do motor;
• Demora para dar a partida;
• Oscilação na rotação do motor.

Além da atenção direta com a peça, é preciso tomar cuidado com o tipo de combustível que você usa para abastecer seu caminhão, pois diesel adulterado e de má qualidade também pode danificar a bomba. Converse com outros colegas e procure sempre abastecer em locais confiáveis. Se você precisa trocar essa peça no seu veículo, faça com economia e qualidade.

 

Fonte: Volvo Na Estrada

Lei do Descanso: respeite a lei e os seus próprios limites

atron-1635-fusaook.jpg

De acordo com pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte, 88,4% dos motoristas possuem conhecimento sobre a Lei do Descanso aprovada em 2015. Porém, 34,7% não cumprem o tempo de repouso recomendado.
Sabemos que entregar o frete é importante, mas é necessário dar pausas para evitar acidentes: lembre-se que existem pessoas que te esperam na volta pra casa e, além disso, você também é responsável pelas vidas dos outros motoristas na estrada.
Para realizar o trabalho relaxado e atento, separamos algumas dicas simples para você seguir no dia a dia no trecho. Confira:

Mantenha uma alimentação saudável
Almoçar ou jantar comidas gordurosas e pesadas não só afeta a saúde (obesidade e problemas cardíacos) como também o seu sono, pois são de difícil digestão. O ideal é não pegar a estrada logo após comer. Aproveite o momento depois das refeições – quando o sono bate – para fazer uma pausa e tirar um cochilo.

Faça exercícios
Alongue seus braços, pernas e pescoço ao parar. Além de aliviar a tensão das horas passadas sentado ao volante, você garante uma sensação relaxamento, ideal para descansar.

Aproveite o seu leito
Ao realizar as suas paradas, tente estacionar em locais com pouco barulho. Se estiver de dia, dê preferência a lugares com sombra e use cortinas para diminuir a luz, criando um ambiente de descanso na cabine.

Não se esqueça de que mais importante que a carga, é sua vida! Por isso, esteja sempre descansado para rodar bem e seguro.

Fonte: Blog Volvo na Estrada

Cuidados com a bomba injetora de combustível

atego na cidade

Uma das partes mais importantes de todo o sistema de alimentação do seu caminhão é a bomba injetora de combustível, por isso ela precisa de uma atenção especial. Mas antes de falar sobre como cuidar desse componente, é preciso entender qual sua importância e funcionamento.

A bomba injetora é responsável por enviar o combustível do tanque até o sistema de alimentação do motor, ou seja, sem ela o diesel ficaria parado dentro do tanque e de nada adiantaria abastecê-lo. Quando o combustível está dentro do motor e você liga o caminhão, ocorre a combustão e você pode pegar a estrada. No mercado existem dois tipos de funcionamento: mecânico e elétrico. O modelo elétrico é mais moderno, está presente nos veículos que possuem injeção eletrônica e com ele o processo de injeção de combustível é administrado por unidades de comando eletrônicas. Já as bombas mecânicas são as reguladas por bombistas (profissionais capacitados) de forma manual.

Para garantir que seu caminhão continue rodando com segurança e sem problemas no trajeto do diesel, entre o tanque e o motor, são necessárias três coisas: adquirir uma bomba injetora de qualidade, avaliá-la regularmente e fazer a troca dentro do tempo certo. O período indicado para trocar a bomba de combustível é, em média, a cada 150 mil quilômetros rodados, mas é preciso ficar atento aos sinais que podem indicar problemas na peça:

• Excesso de fumaça saindo do escapamento;
• Falhas no motor;
• Queda no rendimento do combustível;
• Sons e ruídos incomuns;
• Queda gradual da potência do motor;
• Demora para dar a partida;
• Oscilação na rotação do motor.

Além da atenção direta com a peça, é preciso tomar cuidado com o tipo de combustível que você usa para abastecer seu caminhão, pois diesel adulterado e de má qualidade também pode danificar a bomba. Converse com outros colegas e procure sempre abastecer em locais confiáveis. Se você precisa trocar essa peça no seu veículo, faça com economia e qualidade.

Pode lavar o motor, mas é preciso ter cuidado

lavar-motor

Para quem gosta de cuidar de carro, ver um motor sujo não é legal, mas sempre pinta aquela dúvida: se eu o lavar será que vou estragar alguma peça? Essa preocupação tem origem nos carros carburados: antigamente, quando lavávamos o motor nos postos de combustíveis, as famosas mangueiras de pressão  inseriam a água dentro do distribuidor (peça que fazia a distribuição da corrente elétrica para cada vela do motor) e, depois de lavar, o motor o carro não pegava.

Com a chegada da injeção eletrônica, esses sistemas de distribuição mudaram. Porém, as novas tecnologias invadiram o compartimento do motor com módulos eletrônicos e conectores elétricos que também se danificam quando a água tem acesso a seus circuitos eletrônicos.

Você pode estar me perguntando: então, não posso lavar o motor? Pode. O problema não é a água, mas sim a pressão da água. Para que você entenda melhor, lembre-se: existem relógios à prova de água e relógios para mergulho (que aguentam a pressão). O seu carro é semelhante a um relógio, que apenas pode tomar chuva.
Veja o passo a passo
Existem empresas especializadas em lavar motores, mas, se você pretende fazer isso sozinho, o primeiro passo é identificar os pontos vulneráveis. São os módulos e sensores eletrônicos que estão instalados ao lado do motor (veja na foto abaixo). Alguns estão fixados ao painel traseiro do motor (continuação do para-brisa).

Os principais são: módulo da injeção eletrônica, módulo do ABS, modulo de carroceria, alternador, bobina, caixa de relés… todos aqueles componentes onde você identificar a conexão de um chicote elétrico.

 

Se for usar uma máquina de pressão de água, com o carro DESLIGADO, envolva com um saco plástico todas estas peças, inclusive a bateria, para que o jato de água não atinja diretamente as vedações.

 

Verifique também se a tampa de reposição de óleo do motor e do reservatório da direção hidráulica estão bem fechadas. Certifique-se de que a varetas medidoras do óleo do motor e do câmbio automático também estejam bem encaixadas.

 

Não desligue as conexões da bateria: dependendo do modelo de carro, você poderá perder algumas programações dos módulos eletrônicos. Se eles estiverem sujos no final da lavagem, aplique um limpa-contato.

 

Não utilize produtos ácidos
Nunca use solventes, sabão em pó ou desengraxantes a base de petróleo, como querosene, ou ácidos que possam reagir com as borrachas de vedação. Estes produtos também ressecam as mangueiras e correias.

 

Além disso, desengraxantes muito potentes, quando pressionados com água sobre os rolamentos como os esticadores de correia, acabam retirando a lubrificação interna do rolamento e, algumas semanas depois, você começará a ouvir ruídos agudos gerados pelo desgaste interno.

 

Você pode utilizar alguns detergentes caseiros ou produtos específicos para este fim encontrados em lojas de autopeças. Aplique sobre o motor e deixe por um tempo, para que eles dissolvam a sujeira. Depois aplique a água, com cuidado. Uma escova de nylon ajudará a remover a sujeira nos cantos mais difíceis.
Seu carro tem mais de 10 anos?
Nos veículos novos e seminovos, os anéis e retentores utilizados para impedir a entrada de água e poeira costumam estar em bom estado e a probabilidade de dar problema é pequena. Já nos carros com mais de 10 anos estes mesmos anéis e vedadores estão ressecados devido à caloria recebida do motor durante todo esse tempo, e um jato de água mais forte poderá danificá-los permanentemente.

Lavar com vapor é melhor
Uma forma inteligente e sustentável de lavar seu motor sem produtos químicos é utilizar máquinas de pressão de vapor. A água quente desengordura e tira as manchas nos cantos onde nem a escova tem acesso. Também nesse tipo de lavagem valem todos os cuidados que mencionei acima.

O grande diferencial da máquina de pressão a vapor é o baixo consumo de água. Afinal, o comprometimento com o consumo racional de água é um dever de todos nós.

Confira os principais sinais de desgaste do sistema de direção

axor-700x466

O motorista deve ficar atento aos sinais que podem indicar falha no sistema de direção dos caminhões. Composto por barra lateral, barra de ligação,  terminal de direção, coluna   e caixa de direção, o sistema  garante a estabilidade e  boa dirigibilidade do veículo.

Problemas mais comuns:

  • Barra lateral e barra de ligação podem apresentar empenamento, folga, desalinhamento da direção, inversão da posição de montagem e coifa rasgada.
  • A coluna de direção pode apresentar folga ou travamento no acoplamento ou cruzetas e consequente ruído.
  • No terminal de direção o mais comum são folga excessiva, coifa rasgada e desalinhamento na instalação.
  • A caixa de direção pode apresentar vazamento do fluido hidráulico e ou desgaste nos componentes internos.

É importante:

  • Fazer revisão a cada 10 mil km para verificar se os componentes do sistema de direção estão em condições adequadas com relação a folgas, posição de montagem e sua preservação/integridade
  • Peças soldadas ou recondicionadas podem acarretar acidentes graves, pois em condições de uso severo podem apresentar ruptura deixando o veículo desgovernado.
  • A folga na direção é facilmente percebida pelo motorista e neste caso um mecânico de confiança deve ser procurado para identificar o componente causador da folga.
%d blogueiros gostam disto: